17.7.17

MOSTRA-ME O QUE ÉS

Se me convidares para tua casa, reluzente e bela, com jardins e mesa para os convidados...!
Se me chamares a participar da perfeição das coisas num festim de luxo que te exulta a felicidade...! Se me mostrares que não há pó em tua casa e lavas a cara com o perfume que te invejam...!
Se principescamente te vestires e tudo for majestático como os livros encadernados a ouro na estante da vida...!
Se os móveis adornados em talha de pérola de títulos académicos, e as tapeçarias e sofás ampliarem o espaço exíguo da alma que não mostras... então vou dizer que não posso, e invento uma desculpa qualquer, porque até que outras nuvens passem sobre o teu céu, é nas cores esmaecidas que jazes vivente, qual divisão da casa fechada a todos, com a desculpa de não habitar lá ninguém.
E então irei, porque o melhor que podemos dar ao Outro é o recanto da alma, e só então se faz festa e partilha, no maior luxo que pudemos oferecer...

30.6.17

SER PAI OU MÃE POR EGOÍSMO

 
 
Angela Merkel deu nesta segunda feira em entrevista um empurrão à legalização do casamento e adopção por pessoas homossexuais, depois de ter visto como um casal de mulheres cuidava dos seus oito filhos! Todas as crianças merecem um pai e uma mãe, ou na falta disso, dois pais e duas mães, ou ainda na falta disso um pai ou uma mãe que as adopte retirando-as do abandono institucionalizado, mesmo que a imagem parental de ambos os sexos seja a condição ideal para o crescimento psico afectivo da criança, mas o mundo não é perfeito, e adoptar é um profundo gesto de amor; já comprar filhos amputando-lhes à nascença a possibilidade de ter pai e mãe, é um profundo acto egoísta por melhor que venha a ser a educação! Só por capricho e egoista satisfação pessoal se trazem filhos ao mundo privados de pai e mãe, só porque alguém não se quer casar ou estar com outra pessoa. Estar sozinho é totalmente legítimo e indiscutível, mas fazer pagar essa decisão a uma criança por nascer, é criminoso! O resto são justificações de quem não percebe a diferença entre um ser humano por nascer e um objecto que se compra a seu bel prazer...